Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais (PPGRI)
  • Seminário

    Publicado em 11/09/2019 às 11:06


  • Processo Seletivo Regular para Doutorado com ingresso em 2020

    Publicado em 06/09/2019 às 16:30

    O Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da Universidade Federal de Santa Catarina torna público o edital para o processo de seleção dos candidatos ao Doutorado em Relações Internacionais, para ingresso em 2020. As inscrições estão abertas entre os dias 01/10 e 14/11.

    Para mais informações sobre o processo seletivo acesse o edital:

    Consulte aqui o edital

    Quaisquer dúvidas e informações adicionais podem entrar em contato pelo e-mail:  ppgri@contato.ufsc.br


  • Processo Seletivo Regular para Mestrado com ingresso em 2020

    Publicado em 30/08/2019 às 14:19

    O Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da Universidade Federal de Santa Catarina torna público o edital para o processo de seleção dos candidatos ao Mestrado em Relações Internacionais, para ingresso em 2020. As inscrições estão abertas entre os dias 02 e 23/09.

    Para mais informações sobre o processo seletivo acesse o edital:

    Consulte aqui o edital completo

    Edital para estrangeiros

    Quaisquer dúvidas e informações adicionais podem entrar em contato pelo e-mail:  ppgri@contato.ufsc.br


  • Call for Papers: “Brazil’s and Latin America’s challenges and alternatives in the World-System current juncture”

    Publicado em 21/08/2019 às 13:54

    13th BRAZILIAN COLLOQUIUM ON POLITICAL ECONOMY OF WORLD-SYSTEMS

    Florianópolis — SC — Brazil

    November 25-26, 2019

    With the risks implicit in all simplification, it can be said that the world-economy juncture continues to be dominated by financial expansion, the decline of US hegemony and the rise of China. More recently other processes have been added to those initiated in the 1980s: the divisions in the European Union that led to BREXIT, the Chinese state’s decision to act more strongly in world politics, Donald Trump’s aggressive policy to contain China, the right-wing populist wave and, last but not least, the intensification in use of various scientific-technological (Big Data, Internet of Things, Artificial Intelligence, 5G, among others), which some qualify as the 4th. Industrial Revolution or Industry 4.0.

    At this same juncture (from 1980s) Latin America (LA) went through the end of the developmental period, the debt crisis, the so-called lost decade of the 1980s (low growth, high inflation, rising poverty, etc.); at the end of the 1990s, with the election of Hugo Chávez, LA experienced a period of denial of the Washington Consensus by governments that advocated political and economic projects with different hues but all trying to combine economic growth, income distribution, democracy and more autonomous regional integration (Mercosur, UNASUR, etc.). In the 2000s these projects benefited from the commodity boom spurred by double-digit Chinese growth.

    Since 2008, the international scenario has changed, directly affecting the Latin American neodevelopmental experiment and revealing the superficiality of the changes. Politically, democracy is seriously threatened, and economically, the uncertainties of the 1980s are back. From this brief overview many questions emerge:

    What does expect from the current juncture of the world-system which seems to be characterized by the US-China conflict in the commercial, scientific-technological and military spheres? Will the world economy open a new prosperity phase or will this conflict lead to a new systemic chaos? If such a scenario is viable, what is Latin America’s place in it? After all, are there lessons that can be drawn from the short progressive political-economic cycle lived in Brazil and Latin America in this Century? What about the alternative presented by the proponents of “Socialism of the 21st century”? How to explain the change of direction taken since the right-wing counteroffensive? What are their projects and where do they lead us? What provisional evaluation can we do for the region, sub region and specific countries in this new regressive scenario? Does LA facing a new wave of fascism, which is affecting central, semi-periphery and peripheral countries? What is left of neodevelopmentalism and socialist proposals?

    In its 13th Edition, the Brazilian Colloquium on Political Economy of World-Systems invites researchers to submit papers that address these and other issues from a world-historical perspective. Contributions and even criticism of EPSM itself or on other historical themes and periods will also be welcome.

    Schedule
    10/21: Expanded Summary Submission (500 words)
    10/28: Disclosure of Accepted Works
    11/4: Attendance Confirmation
    11/12: Program Release
    11/25-26: Realization of the Event

    Scientific Commission
    Pedro Antonio Vieira – UFSC
    Helton Ricardo Ouriques – UFSC
    Fábio Pádua dos Santos- UFSC
    Jales Dantas da Costa – UNB
    Rosângela Vieira – UNESP
    Carlos Eduardo Martins – UFRJ

    Guidelines for Abstract Submission and Final Paper
    Format specification: word for windows or PDF file; Times New Roman 12 font; spacing 1.5; 25 pages maximum
    Please, send paper proposals to gpepsm@contato.ufsc.br

    Achievement
    Research Group on World-Systems Political Economy

    Support
    Federal University of Santa Catarina (UFSC), Socio-Economic Center and Graduate Program in International Relations.


  • XIII Colóquio Brasileiro em Economia Política dos Sistemas-Mundo

    Publicado em 21/08/2019 às 13:51

    Desafios e alternativas do Brasil e América Latina
    na atual conjuntura do Sistema-Mundo

    25 e 26 de novembro de 2019

    Florianópolis – SC – Brasil

    CHAMADA DE TRABALHOS

    Com os riscos implícitos em toda simplificação pode-se dizer que a conjuntura da economia-mundo continua sendo dominada pela expansão financeira, pelo declínio da hegemonia norte-americana e pela ascensão da China. A esses processos, iniciados na década de 1980 vieram somar-se outros, como as divisões na União Europeia que levou ao BREXIT, a decisão do Estado Chinês em atuar mais fortemente na política mundial, a política agressiva de Donald Trump para conter a China, a onda populista de direita e, por último, mas não menos importante, uma intensificação no emprego de diversas inovações científico-técnicas ( Big Data, Internet das Coisas, Inteligência Artificial, 5G, entre outras), que alguns qualificam como a 4a. Revolução Industrial ou Indústria 4.0.

    Nesta mesma conjuntura (de 1980 pra cá) a América Latina passou pelo fim do período desenvolvimentista, a crise da dívida, a chamada década perdida dos anos 1980 (baixo crescimento, alta inflação, aumento da pobreza, etc…) e, no fim da década de 1990, com a eleição de Hugo Chávez, o início de um período de negação do Consenso de Washington e de projetos políticos e econômicos com diferentes matizes, mas todos tentando combinar crescimento econômico, distribuição de renda, democracia e mais integração regional autônoma (ampliação do Mercosul, UNASUL, etc.). Nos anos 2000 esses projetos se beneficiaram do boom das commodities provocado pelo crescimento chinês de dois dígitos.

    A partir de 2008 o cenário internacional mudou, afetando diretamente o experimento desenvolvimentista latinoamericano e revelando a superficialidade das mudanças. No plano político a democracia vê-se seriamente ameaçada e no econômico, as incertezas da década de 1980 estão de volta. Desse breve panorama emergem muitas perguntas:

    O que esperar da atual conjuntura do sistema-mundo que parece se caracterizar pelo conflito EUA-China nas esferas comercial, cientifico-tecnológica e militar? Uma nova fase de crescimento da economia-mundo ou esse conflito desembocará em um novo caos sistêmico? Se tal cenário é viável, qual o lugar da América Latina nele? Afinal, há lições que podem ser tiradas do curto ciclo político-econômico progressista vivido no Brasil e na América Latina? O que dizer da alternativa apresentada pelos proponentes do socialismo no século XXI? Como explicar a mudança de rumo tomada desde a contra-ofensiva direitista? Quais os seus projetos e onde eles nos levam? Que balanço provisório podemos apresentar para a região, sub-região e países específicos nesse novo cenário regressivo? Estamos ou não diante de uma nova onda de fascistização que atinge países do centro, semiperiferia e periferia? O que resta do neodesenvolvimentismo e das propostas socialistas?

    Em sua 13ª Edição, o Colóquio Brasileiro em Economia Política dos Sistemas-Mundo convida pesquisadores a submeterem trabalhos que abordem estas e outras questões a partir de uma perspectiva histórico-mundial. Também serão bem-vindas contribuições e mesmo críticas à própria EPSM ou que tratem de outros temas e períodos históricos.

    Cronograma
    21/10: Envio de Resumo expandido (500 palavras)
    28/10: Divulgação dos Trabalhos Aceitos
    04/11: Confirmação de Presença
    12/11: Divulgação da programação
    25 e 26/11: Realização do Evento

    Comissão Científica
    Pedro Antonio Vieira – UFSC
    Helton Ricardo Ouriques – UFSC
    Fábio Pádua dos Santos- UFSC
    Jales Dantas da Costa – UNB
    Rosângela Vieira – UNESP
    Carlos Eduardo Martins – UFRJ

    Normas para submissão de resumos e trabalho final
    Especificação da formatação: arquivo “word for windows” ou PDF; fonte Times New Roman 12; espaçamento 1,5; máximo de 25 páginas.
    Endereço eletrônico para envio: gpepsm@contato.ufsc.br

    Realização
    Grupos de Pesquisa em Economia Política dos Sistemas-Mundo

    Apoio
    UFSC, Centro Sócio-Econômico e Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais.


  • Exame de Qualificação de Mestrado

    Publicado em 09/08/2019 às 9:36


  • Palestra

    Publicado em 30/07/2019 às 16:52


  • Matrículas PPGRI 2019.2

    Publicado em 18/06/2019 às 9:48

    Consulte aqui as disciplinas e os horários para o semestre 2019.2.

    As emendas das disciplinas estão disponíveis na aba “Ementas das disciplinas” neste site.

    Importante: leia também as abas “Matrícula” e “Estrutura curricular” no site do PPGRI.

    Prazo de cancelamento das disciplinas: 05 a 16 de Agosto de 2019.

    Alunos regulares do PPGRI, turmas 2018 e 2019

    Períodos de matrícula: 08 a 12 de julho de 2019 pelo CAPG, com seu IdUFSC e senha.

    Alunos externos que desejam cursar disciplinas isoladas 

    Períodos de matrícula: 08 a 12 de julho de 2019.

    Entregar formulários impressos e assinados presencialmente na Secretaria do PPGRI. Para ter acesso aos formulários, consulte a aba “Formulários” neste site. Os formulários são diferentes para alunos externos à UFSC ou para alunos da UFSC externos ao PPGRI. O aluno deverá solicitar matrícula apenas nas disciplinas optativas. A solicitação de matrícula em disciplinas obrigatória será analisada apenas para alunos da UFSC com tema de dissertação ou tese específico à disciplina requerida, e deverá vir acompanhada de motivação por escrito do aluno solicitante. A decisão sobre o aceite dos pedidos caberá ao docente responsável pelas disciplina.

    Mais informações pelo e-mail ppgri@contato.ufsc.br

     


  • Seminário

    Publicado em 13/06/2019 às 10:51


  • Seminário

    Publicado em 04/06/2019 às 11:13